“Bolsonaro tem que dar exemplo e aprender a respeitar as mulheres”, diz Rodrigo Forneck

por Victor Augusto Farias publicado 19/02/2020 17h35, última modificação 19/02/2020 17h35

Indignação. Esse é o sentimento que a postura e as falas de Jair Bolsonaro sobre a jornalista Patrícia Campos Mello, repórter da Folha de São Paulo, têm gerado no país. Apoiador da causa feminista, o vereador do PT de Rio Branco, Rodrigo Forneck, repudiou a maneira como o presidente trata e se refere às mulheres. 


“É inadmissível que um presidente propague o machismo e a mentira. É inaceitável que um chefe de estado protagonize cenas de misoginia. Minha total solidariedade à jornalista Patrícia Campos e a todas as mulheres, que também são desrespeitadas com a atitude de Bolsonaro”, afirmou Rodrigo, em sua fala na tribuna da Câmara de Vereadores.


Para Forneck, a conduta de Jair Bolsonaro diante das mulheres o impede de ocupar a cadeira da Presidência. “Quando um chefe de Estado naturaliza o machismo, ele legítima, do ponto vista moral, que outros também o pratiquem. A exemplo do motorista de Uber, que ‘culpou’ a adolescente de 17 anos de sofrer assédio por estar usando um short curto”, endossou.


Nesta quarta-feira, 19, Rodrigo Forneck e a vereadora Lene Petecão (PSD) protocolaram um requerimento de audiência pública para o próximo dia 13 de março, em que serão debatidas, junto ao movimento 8M, políticas para mulheres e o enfrentamento à violência. 


Conscientização


Como nos últimos anos, Forneck vai aproveitar o Carnaval para conscientizar a população sobre temas relevantes para a sociedade, como a campanha “Não É Não”, que trata sobre assédio e respeito às mulheres.


“As pautas feministas não devem ser encabeçadas apenas pelas mulheres. Nós, homens, temos que fazer a nossa parte e lutar por equidade e respeito”, afirmou o parlamentar. 


 

Ascom Ver. Rodrigo Forneck

error while rendering plone.comments