Câmara realiza audiência pública para discutir propostas de aumento da tarifa de ônibus

por Câmara Municipal de Rio Branco publicado 25/05/2018 13h47, última modificação 25/05/2018 13h47

 

A Câmara Municipal de Rio Branco realizou na manhã desta sexta (26), por meio de requerimento do vereador Roberto Duarte (MDB), a audiência publica para discutir o pedido de aumento da tarifa de ônibus na capital pelas empresas.

O autor da proposta utilizou a tribuna para cobrar melhorias por parte das empresas e recebeu apoio da população presente.

“As empresas não apresentam qualquer beneficio para a população. O usuário do transporte publica passa mais de uma hora nas paradas, veículos velhos ou sem condições de uso e ainda assim querem colocar na conta da população. Quem daqui pode apresentar defesa das empresas que não cumprem a sua parte? Ninguém. Estão tão errados que não comparecem nos debates”, disse Duarte.

A RBTrans apresentou suas planilhas apresentadas ao conselho tarifário e ao conselho técnico, que mostram os estudos que a instituição realizou. Mas não agradou os representantes do movimento popular.

“Todas as lideranças comunitárias estão no entendimento que não aceitaremos um aumento sem qualidade ou beneficio. No Rio de Janeiro as empresas pediram aumento, mas ofereceram uma contra partida a favor da população. E aqui? Só dizem que o vilão é o combustível. A Câmara foi composta por representantes da população e deve voltar a ter voto nesse debate”, destacou o presidente dos movimentos comunitários de Rio Branco, Oséias Silva.

O representante da Federação das Industrias do Acre, George Dobré, defendeu que não é de interesse das empresas ter aumento.

“Não temos interesse de aumentar a passagem, somos responsáveis por vinte e cinco por cento dos usuários, pois as empresas também custeiam as passagens do trabalhar. Não temos interesse em encarecer para as empresas. Não nos interessa inviabilizar o serviço como Conselheiro e Câmara Técnica., pois estamos apurando um custo que a população possa custear e nós também. Construímos nossa planilha baseado nos estudos”, explicou o representante.

O deputado estadual, Eber Machado (PDT), que também puxou a discussão no dia anterior na assembleia legislativa (Aleac) disse que os números apresentados são fantasiosos.

“Os questionamentos são os mais diversos, como saber se esses números apresentados pela RBTrans e das empresas são reais. A RBTrans tem documento que comprove o número de passageiros que justifique o que eles e as empresas colocam? Sempre colocam que o vilão é o combustível, como foi colocado pelo Jô Luis. É muito fácil eu trabalhar em cima de números fantasioso que o diretor Gabriel Forcnek coloca”, disparou Eber.

Representantes populares e estudantes apresentaram vídeos e movimentos que estão se formando contra a possibilidade de aumento. O presidente do DCE da Ufac, Richard Brilhante exibiu alguns descasos com os usuários.

“Nós causa curiosidade, que historicamente e somente este ano surgiu a câmara técnica, que em sua composição é formada por membros a favores das empresas. Ano passado deu empate e na votação final mudaram o voto de um conselheiro. Fico feliz que tenham mudado o posicionamento e hoje os movimentos populares estão a nosso favor e não como os partidos de esquerda que votam contra a população e a favor das empresas”, frisou Richard.

Assim como na audiência pública puxada pela assembleia, nenhum membro do sindcol ou representante se fez presente no debate. O que gerou mais críticas dos presentes, como declarou Emerson Jarude (PSL).

“As empresas não têm respeito com a população e muito menos coragem de enfrenta-la, se tivesse, viriam ou mandariam representação. Ninguém que trabalha no vermelho como as empresas afirmam, estaria querendo renovar contratos. E não oferece nenhum tipo de benefício, só causa prejuízo a população de Rio Branco”, destacou Jarude.

O líder da prefeita Socorro Neri (PSB), vereador Eduardo Farias (PCdoB) propôs suspender as discussões e que se tirasse da audiência, membros a compor uma auditoria popular.

“Gostaria de encaminhar a sugestão de que suspendesse as discussões a respeito da passagem, que elegêssemos membros que iriam compor uma auditoria popular das planilhas das empresas e RBTrans, daqui quinze dias retornamos a está casa com os resultados”, propôs Farias.

O superintendente do RBTrans, Gabriel Forneck disse que precisa levar a proposta ao Conselho Tarifário para deliberarem.

 

Texto/foto

Victor Augusto de Farias – Ascom/CMRB

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.